Alguns dos profissionais.jpg

Valdir Ribeiro ​- Comissário de Avarias, Regulador, Consultor e Assessor Técnico em Sinistros de Transportes - Registro FENSEG nº 350

O Regulador de Sinistros de Transportes

Tenho histórias atuais referentes a Processos de Sinistro antigos!

 

Estão há muito tempo encerrados.

 

Estão também sem identificação dos envolvidos.

 

Nessas condições, creio que podem ser compartilhados para o aprendizado de eventuais interessados.

 

Isto é particular e profissionalmente importante, porque constituem uma pequena parcela de contribuição para a formação de novos Profissionais de campo, como alguns experientes...:

 

- Vistoriadores: Hércules de Miranda Ventura, Paulo Ricardo Rebouças;  

 

- Comissários de Avarias:

 

Roberto G. Freitas, Lúzio Silva, José F. Commandulli; Adenir Fernandes; e tantos outros.

 

- Reguladores Externos/terceirizados e Internos:...

 

Em minha opinião, esses Profissionais citados têm atualmente a experiência necessária ao desempenho esperado!

 

Sua atuação talentosa e vocacional no trabalho de campo evitou pagamentos errôneos de indenizações de milhares e até milhões de Reais/R$ por parte de Seguradoras.

 

Claro que elas tiveram a atuação brilhante do Regulador, que era no mínimo similar no que se refere ao conhecimento adquirido em campo ou gabinete e fez seu trabalho de maneira incontestável juridicamente!

 

Comparar a ocorrência de fato com a Cobertura oferecida pela Apólice de Seguro, nem sempre é tarefa fácil!

Vamos lá às Histórias, juntos!

 

A) Reclamação ao Causador dos Prejuízos:

 

1) Envolve lotes importados51,8t de chapas 

de vidro laminado. Houve quebra;

 

B) Reclamação ao Embarcador / Exportador por prejuízos:

 

1) Condensação de Umidade.

Embalagem de excelência falhou!

 

1.2) Cobertura Securitária.

 

2) Originado por deficiência de embalagem.

 

Baldes plásticos em pallets, preparados para armazenagem e não para transporte;

 

3) Gerado por Condensação de Umidade.

 

Faltaram Absorvedores de umidade;

 

4) Provocado pelo Exportador.

 

A maneira de estufar a carga estava errada, tornando parte dela inaproveitável; e

 

5) Gerou prejuízos por ferrugem/oxidação.

 

Causa: umidade. Importador deixou a carga se estragar na Alfândega; 

 

6) Reclamação ao Exportador. Causa:

 

Inexistência de embalagem direta do produto.

 

7) Reclamação ao Depositário. 

 

Causa: Negligência.

 

 

 

 

Ajuda

 

Se precisar de algo, por favor não fique acanhado e me contate.

 

​Vou te ajudar em tudo que estiver ao meu alcance!

 

C) Orientação ao Segurado:

 

1) Evitar a desova antecipada de container.

 

2) Vistoria.

 

É imprescindível cumprir a Cláusula, deixando que a Seguradora decida pela sua necessidade ou não; 

 

3) Subrogação de Direitos.

 

4) Preservação de Direitos.

 

5) Dicas Úteis.

 

6) Artigos publicados

 

7) A Seguradora indeniza quando o embarque é averbado fora do prazo? 

 

8) - Processo de Reclamação de Sinistro.

 

 

D) ​Regulação de Sinistro

 

1) Carga Projeto.

Máquina para Indústria do Petróleo;

 

2) Condensação de Umidade. Máquina;

 

3) que gerou prejuízos por ferrugem.

Causa: umidade. Importador deixou a carga se estragar na Alfândega; e

 

4) Evitar a desova antecipada.

Calejado, o Transportador Rodoviário aprendeu.

 

 

 

Valorize o Regulador!